quinta-feira, 10 de dezembro de 2009

Fumo Passivo Atinge 94.6% da População Mundial, diz OMS


Amigos,
Estamos quebrando a regra deste espaço quanto a ser apenas de imagens. Daqui por diante piblicaremos também textos importantes como o que segue abeixo.
Saudações fraternas!
Alexandre Pimentel
Fumo passivo atinge 94,6% da população mundial, diz OMS
Um novo relatório da Organização Mundial de Saúde (OMS), divulgado nestaquarta-feira (9), afirma que 94,6% da população mundial ainda não estáprotegida por leis contra os males causados pelo fumo passivo.

No segundo grande relatório organizado pela instituição a respeito do quechama de "epidemia do fumo", a OMS diz que 5,4% da população do mundo estavaprotegida por leis antifumo abrangentes em 2008, um aumento de 3,1% emrelação a 2007.

Este número significa que 154 milhões de pessoas não estão mais expostas aosdanos causados pelo tabagismo em locais de trabalho, restaurantes, bares eoutros ambientes públicos fechados."

Apesar de significar um progresso, o fato de que mais de 94% das pessoasainda não estão protegidas por leis antifumo abrangentes mostra que épreciso trabalhar mais", disse Ala Alwan, diretor-assistente para DoençasNão Transmissíveis e Saúde Mental da OMS.O documento diz que sete países (Colômbia, Djibuti, Guatemala, Maurício,Panamá, Turquia e Zâmbia) implementaram leis antifumo em 2008, elevandonaquele ano o total de países com estas leis para 17.

*Mortes - *O relatório, divulgado em Istambul, na Turquia, se concentra naConvenção para Controle do Fumo, principalmente o artigo 8, que cuida daproteção contra a fumaça de cigarro. A convenção foi elaborada em 2005 eratificada por 170 países.

O texto descreve os esforços de alguns países para implementar medidasdeterminadas por esta convenção.Segundo o documento, o fumo passivo "causa cerca de 600 mil mortesprematuras por ano, incontáveis doenças e perdas econômicas da ordem dedezenas de bilhões de dólares ao ano".

"Não há um nível seguro de exposição ao fumo passivo. Então, é necessáriauma ação dos governos para proteger as pessoas", afirmou Alwan.*Brasil* - O relatório da OMS cita o Brasil como exemplo de país ondeautoridades municipais ou estaduais estão implantando políticas contra ofumo passivo.

"Das cem maiores cidades do mundo, 22 são completamente livres do tabaco- emais três (Rio de Janeiro, São Paulo e Salvador) aprovaram leis abrangentesde ambientes livres do fumo desde que os dados para este relatório foramcoletados", afirma o documento.

"Em 2005, todos os Estados e mais de dois terços dos municípios tinham treinado funcionários para implementar atividades de controle do fumo, e um terço dos municípios, incluindo todas as grandes cidades do Brasil, adotaramprogramas específicos de controle do fumo", diz o documento da OMS.

De acordo com o relatório da OMS, o fumo continua em primeiro lugar entre ascausas de morte que podem ser evitadas, com um total de cinco milhões deóbitos por ano.A organização estima que, a não ser que sejam tomadas providências urgentes,esse número poderá chegar a 8 milhões por ano até 2030 - e a maior parte dasmortes ocorreria nos países mais pobres.

*(Fonte: G1)*

Nenhum comentário:

Postar um comentário